Humanismo

Humanismo

 E seu manifesto
Você está aqui: Filosofia >> Humanismo

Humanismo: Algumas Reflexões a partir do Manifesto Humanista I
O humanismo foi “codificado” por 34 dos seus dirigentes em 1933. Embora muitas outras versões do humanismo tenham aparecido antes e depois, aqui estão alguns trechos do Manifesto Humanista I original:

PRIMEIRO: Os humanistas religiosos consideram o universo como auto-existente e não criado. SEGUNDO: O humanismo acredita que o homem é uma parte da natureza e que ele surgiu como resultado de um processo contínuo. TERCEIRO: Adotando uma visão orgânica da vida, os humanistas acham que o tradicional dualismo entre mente e corpo deve ser rejeitado. QUARTO: O humanismo reconhece que a cultura religiosa do homem e da civilização, como descrita claramente pela antropologia e história, é o produto de um desenvolvimento gradual devido à sua interação com o ambiente natural e com o seu patrimônio social. O indivíduo nascido em uma determinada cultura é em grande parte moldado por essa cultura. QUINTO: O humanismo afirma que a natureza do universo descrito pela ciência moderna torna inaceitável qualquer garantia sobrenatural ou cósmica dos valores humanos. Obviamente, o humanismo não nega a possibilidade da realidade ainda desconhecida, mas insiste que a maneira de determinar a existência e o valor de todas e quaisquer realidades é por meio de inquérito inteligente e pela avaliação das suas relações com as necessidades humanas. A religião deve formular suas esperanças e planos à luz do espírito e método científico. OITAVO: O humanismo religioso considera que a plena realização da personalidade humana seja o fim da vida do homem, por isso busca o seu desenvolvimento e realização no aqui e agora. Esta é a explicação da paixão social do humanista. NONO: No lugar de antigas atitudes envolvidas na adoração e oração, o humanista encontra suas emoções religiosas expressadas em um elevado sentido de vida pessoal e em um esforço cooperativo de promover o bem-estar social. DÉCIMO: Daqui resulta que não haverá exclusivas emoções e atitudes religiosas da espécie até então associadas com a crença no sobrenatural. PONTO FINAL: Assim são as teses do humanismo religioso. Embora consideremos as formas religiosas e as ideias de nossos pais não mais adequadas, a busca pela boa vida ainda é a tarefa central para a humanidade. O homem está finalmente tornando-se consciente de que só ele é responsável pela realização do mundo dos seus sonhos, que ele tem dentro de si o poder dessa realização. Ele deve definir inteligência e vontade para a tarefa.

Humanismo: Uma Crença sem Propósito ou Valores Objetivos
O humanismo afirma que o universo existe sem nenhum propósito. Somos o resultado de um processo cego e aleatório que não necessita de qualquer tipo de sentido. O humanismo difere da filosofia mais extrema do niilismo, a crença em que a vida pode ter um significado se atribuirmos um sentido a ela. A vida só é digna de ser vivida se nós mesmos a tornarmos útil e agradável. O humanismo defende que nenhum valor ou objetivo universal existe. Uma pessoa pode ser moral se ele ou ela criar um sistema de valores e viver de acordo com esses valores. Um humanista afirma que ninguém é obrigado a ser moral. Portanto, o humanismo não fornece objeções morais a um comportamento imoral. Obviamente, se não existem absolutos morais, não se pode demonstrar que algo é errado ou mau. Assim, numa sociedade humanista, ninguém pode realmente julgar ou condenar as escolhas ou ações dos outros.

Humanismo: A Vida sem Significado Real
O humanismo é promovido pelo ensino da ciência evolutiva, do materialismo e do relativismo moral em nossa mídia popular e escolas. Removemos Deus da figura por completo. Sem Deus, perdemos qualquer propósito transcendente para o universo em que vivemos. Sem Deus, perdemos qualquer propósito transcendente para dar sentido às nossas vidas individuais. Não somos nada mais do que insetos lutando pela sobrevivência até morrer. Todas as conquistas, os sacrifícios, os atos bons e bonitos de algumas pessoas, os atos feios e escuros dos outros, são no fim das contas esforços inúteis da vida. Sem Deus, nós perdemos qualquer possibilidade de vida após a morte. Quando você remove a esperança do céu, você remove o valor supremo e a finalidade da vida. Que diferença realmente faz se vivemos como um Billy Graham ou Osama Bin Laden? O destino de todos seria o mesmo de qualquer maneira. Esta é a perspectiva final daqueles que baseiam a sua crença no humanismo. Coma, beba e seja feliz - porque amanhã morreremos. Achamos esse pensamento pouco animador. Investigue por si mesmo.

Explore Sua Alternativa Agora!


Gostou dessa informação? Ajude-nos ao compartilhar esse artigo com outras pessoas usando os botões dos sites sociais abaixo. O que é isso?




Siga-nos:




English  
Social Media
Siga-nos:

Compartilhar:


Perspectivas Filosóficas de Enxergar o Mundo

Deuses Egípcios
Relativismo Cultural
Relativismo Moral
Argumento Cosmológico
Materialismo Cultural
Naturalismo
Deuses Romanos
Existencialismo
Humanismo Secular
Conteúdo adicional ...

Perspectivas Científicas de Enxergar o Mundo
O que a Bíblia declara ser verdade?
Teísmo
Fundadores dos Sistemas de Crenças
Religiões Mundiais
Descubra a verdade
Assuntos populares
Desafios da vida
Recuperação
 
 
 
Pesquisar
 
Add Humanismo to My Google!
Add Humanismo to My Yahoo!
XML Feed: Humanismo
Filosofia Página principal | Sobre nós | Perguntas Frequentes | Mapa do Site
Copyright © 2002 - 2014 AllAboutPhilosophy.org, Todos os direitos reservados.